Notícias

“ALGO VITORIOSO” FOI COMO O MINISTRO DA EDUCAÇÃO CLASSIFICOU O ENEM 2021

POR EXCEDER A CAPACIDADE DAS SALAS SEGUINDO O PROTOCOLO DA COVID-19, 11 LOCAIS DE PROVA TIVERAM QUE BARRAR CANDIDATOS

“Algo vitorioso”, foi como o ministro da Educação, Milton Rabelo classificou a aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no último domingo, 17, por estarmos em um período de pandemia, onde muitas restrições e medidas tiveram que ser adotadas em virtude da prevenção e combate ao novo coronavírus.

Com 51,5% de abstenções, embora sejam preliminares, os números já entraram para a história do Enem, como a maior taxa desde a primeira edição do exame, há mais de vinte anos. Em 2009, foi registrado um índice de 37,7% e em 2019 o índice ficou perto da casa dos 23% no primeiro dia de provas, afirmou o ministro.

Do ponto de vista sanitário, a aplicação foi tranquila, de acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes. Ainda de acordo com Lopes, pelo menos 11 dos mais de 14.447 locais de provas, tiveram que barrar a entrada de candidatos em virtude da capacidade de lotação estar acima de 50%, que era o número tolerável como uma das medidas preventivas no controle do risco de propagação da Covid-19 entre os participantes do exame.

“Tivemos 11 locais de prova com aparentemente alguma dificuldade de os alunos poderem realizar a prova”, afirmou Lopes.

Casos deverão ser averiguados, especialmente sobre as divergências entre o que foi de fato noticiado e o que foi registrado na ata das salas de aplicação das provas, completou ainda, Alexandre Lopes. “Qualquer participante que se sentiu prejudicado, a partir de 25 de janeiro, como está previsto no edital, poderá pedir a reaplicação nos dias 23 e 24 de fevereiro”.

A reaplicação do exame está prevista em casos de problemas logísticos, e este ano, em virtude da pandemia do novo coronavírus, por questões infectocontagiosas. “Não teve nenhum local de prova interditado. Reafirmamos aqui nosso compromisso de uma realização de uma prova com segurança do ponto de vista sanitário. As normas e procedimentos de segurança estabelecidos pelo Inep foram cumpridos durante a execução da prova”, completou o presidente do Inep.

Amazonas e duas cidades de Rondônia tiveram que suspender as provas, devido a situação vivida pelos dois estados no enfrentamento ao coronavírus. É importante ressaltar que o índice de abstenção já exclui os dados de participantes destes locais.

O Exame Nacional do Ensino Médio teve 5,78 milhões de candidatos inscritos. Destes, 5,6 milhões eram esperados para a prova impressa; e 96 mil farão o exame digital em outras datas (31 de janeiro e 7 de fevereiro).

Números do Enem 2020

  • Enem suspenso: 58 cidades terão reaplicação da prova: 56 no Amazonas e duas em Rondônia
  • Doenças infectocontagiosas: Nesta edição, 10.171 pessoas pediram para participar da reaplicação por terem sintomas de doenças infectocontagiosas. Foram aceitas 8.180 e negadas 1.991.
  • Cidades, locais, salas: o 1º domingo de Enem teve 1.689 municípios, 14.447 locais de prova e 201.380 salas de aplicação.
  • Inscritos no 1º dia: 5.523.029 inscritos (o número exclui participante do AM e de duas cidades de RO que suspenderam as provas)
  • Presentes no 1º dia: 2.680.697 (48,5%)
  • Ausentes/abstenção: 2.842.332 (51,5%)
  • Eliminados: 2.967 participantes foram eliminados por portar equipamentos eletrônicos, saírem da sala antes do horário permitido, entre outros.
  • Logística: 69 foram afastados por “ocorrências logísticas”, como emergências médicas ou interrupção de energia elétrica.
  • Falta de luz: Três escolas em São Sebastião do Passe tiveram problemas de fornecimento na energia elétrica e os candidatos terão reaplicação. Menos de 1 mil candidatos estavam inscritos.
“ALGO VITORIOSO” FOI COMO O MINISTRO DA EDUCAÇÃO CLASSIFICOU O ENEM 2021
Clique para Comentar

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MAIS LIDAS

To Top