Portugal realiza primeira licitação pelo direito de instalação

25 de novembro de 2021

© Thambatra / Adobe Stock

Portugal lançou a primeira licitação pelo direito de implantação de parques solares flutuantes nas sete barragens do país, com uma capacidade total de produção de 263 MW.

Os painéis flutuantes estão a ser testados em todo o mundo, e o secretário de Energia de Portugal, João Calamba, disse na noite de quarta-feira que a tecnologia não era apenas benéfica para o ambiente, mas também mais eficiente em termos energéticos.

Freqüentemente, eles concluem a produção de energia hidrelétrica, reutilizam as instalações existentes e evitam o uso de mais terras.

Portugal prevê a implantação de parques solares com capacidade até 100 megawatts nas águas da Barragem do Sul do Alquão, o maior lago artificial da Europa Ocidental, bem como 50 megawatts na Barragem do Castello de Bode, na região centro.

Os parques solares flutuantes de Alqueva e Castelo de Bode serão os sete maiores projectos, todos com previsão de entrada em funcionamento até 2023, disse Galamba.

A EDP, maior concessionária portuguesa, prepara-se para a expansão deste tipo de energias renováveis ​​e em 2017 instalou na Barragem de Aldo Rabaco uma central solar flutuante piloto para testar a tecnologia.

“Estamos confiantes de que este leilão atrairá enorme interesse”, disse Kalamba, acrescentando que os interessados ​​devem apresentar suas propostas até 4 de abril, portanto, a decisão final será tomada em 19 de abril.

Ele disse que a tarifa de eletricidade, que os licitantes prometem vender a energia que geram, será crucial na seleção dos vencedores.

Portugal realizou dois leilões de parques solares em terrenos em 2019 e 2020 e bateu recordes mundiais para os preços mais baixos de produção futura.

READ  As 30 Melhores Críticas De olight Com Comparação Em

(Relatório de Sergio Concalves; Edição de Katrina Demoni e Alison Williams)

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

O Porta Voz