Gripe aviária diagnosticada em Portugal

Embora o DGAV tenha relatado que a gripe aviária foi diagnosticada em Palmyra e não haja evidências de que o vírus possa ser transmitido aos humanos através da ingestão de alimentos, medidas de controle já estão em vigor.

“O Instituto Nacional de Investigação Agropecuária confirmou a ocorrência de mortes de frangos domésticos no concelho de Palmela. [district of Setúbal] É causada por uma infecção pelo vírus da influenza aviária altamente contagioso do subtipo H5N1 “, disse a Diretoria Geral de Alimentos e Medicina Veterinária (DGAV).

Da mesma forma, o plano de contingência para a gripe aviária já foi implementado.

Entre as atividades previstas neste projeto estão a fiscalização do local de diagnóstico – a “fazenda caseira para autoconsumo” – bem como as fazendas de gado na zona de proteção em torno da erupção.

Até o momento, nenhuma fábrica de aves foi identificada na área.

A DGAV lembrou que não havia evidências de que a gripe aviária fosse transmitida ao homem por meio do consumo de alimentos como frango ou ovos.

“A origem desta doença é a migração regular de aves selvagens na Europa, que vêm da Ásia e do leste da Rússia, o que permitiu que o vírus circulasse e se espalhasse por longas distâncias”, acrescentaram.

Ocasionalmente, algumas cepas virais podem infectar outros animais, incluindo mamíferos e humanos, porém, para que isso aconteça, é essencial que haja um contato muito próximo entre aves infectadas e aves. Entre pessoas, ou entre pássaros e outros animais. “

Na “situação epidemiológica atual”, é importante cumprir a DGAV, os regulamentos de segurança biológica e as boas práticas de produção avícola, e evitar o contacto entre aves domésticas e selvagens.

As práticas de higiene para instalações, equipamentos e suprimentos devem ser estritamente respeitadas e o monitoramento “diário e cuidadoso” dos frangos deve ser mantido, incluindo o consumo de água, ração e taxas de produção.

READ  O clube português ficou isolado devido ao vírus Tondola

“Os operadores que realizam a captura de aves ou aves devem ter em mente que eles são os principais responsáveis ​​pela saúde de seus animais, e se houver suspeita de alguma doença, ela deve ser comunicada imediatamente à DGAV. É absolutamente necessário implementá-la de forma rápida e eficaz em campo de operações “, concluíram.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

O Porta Voz