Magia Tóxica no Sul de Portugal – Revista Wavelength Surf

O sul de Portugal tem provado ser uma meca para o talento criativo nos últimos anos, uma espécie de selva livre que permeia a ponta atlântica mais distante da Europa, sem dúvida perdendo seu casaco de golfe / boozehound no exterior do passado, com uma série de negócios excitantes e progressivos florescentes. De movedores e groovers a shapers e fabricantes que incluem toras clássicas e formas retrô Prancha de Bobs e Prancha de surf personalizada JNRe local de ondas grandes, o shaper de Alex Botelho Ferox’s Tábuas feitas de sobreiros locais. O caldeirão de criatividade, cultura e uma abordagem desequilibrada do artesanato do sul de Portugal está provando uma receita para novas abordagens de modelagem e design.

Provando desempenhar um papel vital nesta próspera comunidade criativa estão os amantes, surfistas, parceiros de negócios e shapers, Matthew Ryall e Rhosanna Lowe. O casal francês/inglês/galês está criando pranchas de surf extravagantes baseadas em uma nova comunidade criativa, a Fábrica de Químicos Feliznos boonies da bela paisagem do sul de Portugal.

Conversamos com o casal para saber mais sobre sua nova parceria criativa, Toxic Magic, bem como suas visões para o futuro.

WL: Ei pessoal, como vai? Conte-me sobre a formação da Magia Tóxica…

M: Ainda está em debate quem inventou o jogo de palavras “tóxico/mágico”, mas a Toxic Magic como marca foi formada em 2020. Nós dois trabalhamos em um albergue chamado Bura Surfhouse, e eles gentilmente me permitiram assumir o galpão da piscina quando eu queria começar a fazer pranchas de surf. Dizer que foi uma operação improvisada é um eufemismo, mas é onde as primeiras 5 pranchas de surf foram feitas.

WL: Matt, onde você começou a modelar e quais shapers você diria que são suas maiores influências?

M: Eu moldei uma prancha pela primeira vez com um bom amigo meu chamado Olivier, que faz pranchas de madeira ocas sob a marca Cachalot prancha de surf. Mais tarde, modelei algumas pranchas com Sam of Bob’s Boards e fiz alguns reparos para ele. Mas, com toda a honestidade, eu pulei no fundo do poço muito cedo e tive que descobrir muito sozinho. Desde que me mudei para nossa fábrica e trabalhei ao lado de outros shapers, descobri que trocar ideias entre si tem sido a maior fonte de melhoria. Somos capazes de experimentar as pranchas uns dos outros e aprender com nossos erros. A vantagem que temos em relação aos shapers solo é incalculável. Recentemente tivemos a incrível oportunidade de laminar para Robin Gato Heroi neste verão e definitivamente saiu desse sentimento bastante inspirado e ganhando muita experiência.

As pessoas que realmente me inspiram tendem a não ter nenhuma relação com o surf. Devon Turnbull, designer de moda que se tornou fabricante de alto-falantes de alta fidelidade, fundiu o nicho do mundo hi-fi com algumas das marcas de streetwear mais exclusivas. Joe Lauder, fundador da Satta, começou a fazer skates cruiser estilo anos 70 em uma oficina de carpintaria e a transformou em uma marca de moda. Goldie, um grafiteiro influente, tornou-se um lendário DJ da selva nos anos 90 e, embora tenha ganhado superfama por aparecer em James Bond, sua música é onde está. Esses três caras foram capazes de se estabelecer e depois mudar de meio, mantendo relevância e integridade como artistas ou designers.

READ  As 30 Melhores Críticas De escritório Com Comparação Em

WL: Qual é a visão geral para Toxic Magic?

R: Desde o início, sabíamos que queríamos fazer pranchas de surf que funcionassem, tivessem boa aparência e fossem acessíveis para mais do que apenas os turistas ricos de passagem. Então, embora queiramos crescer, também queremos lembrar desse objetivo inicial. Também queremos fazer muito mais do que fazer pranchas de surf, ambos adoramos criar e por isso esperamos usar Toxic Magic como uma forma de nos permitir fazer isso.

WL: Matt, quais estilos de surf suas pranchas mais combinam?

M: É importante para mim não diluir a marca atendendo às tendências mainstream e de curta duração. Dito isto, com a variedade de pranchas que fazemos, a maioria das pessoas pode encontrar algo que funcione para elas. Gostamos de surf atemporal e cheio de estilo e nosso principal desafio é fazer pranchas que promovam isso em outras pessoas.

WL: Você tem alguns designs incríveis em sua frota de pranchas de surf. O que te levou por esse caminho?

M: Nossos designs de pranchas são fortemente derivados de meus próprios interesses e atividades. Gosto de montar uma grande variedade de pranchas e estou buscando vários caminhos de pesquisa em design de pranchas. Eu tenho gostado de trabalhar em pranchinhas twinzer como uma progressão do gêmeo que você monta como seu dia-a-dia. Um dos meus favoritos pessoais é um quadriciclo step-up com uma abordagem moderna, para surfar de trilho a trilho nos grandes picos por aqui. Meu go-to ainda é um log clássico e tenho trabalhado em alguns modelos diferentes que funcionam bem nos intervalos locais.

WL: Rhosanna, não há muitas mulheres na indústria de modelagem. Como e quando você começou a vidrar?

R: Durante o primeiro ano em que Matthew trabalhou em tempo integral na marca, eu estava trabalhando como designer freelancer e estava bastante focado em ter o maior sucesso possível. Estudei ilustração na universidade e sempre quis ganhar a vida criativamente. Ao mesmo tempo, comecei a ajudar com painéis de fibra de vidro para barbatanas e em algumas laminações. Percebi rapidamente que era isso que eu queria fazer em tempo integral. Matthew me ensinou tudo o que sabia e eu gradualmente abandonei todo o meu trabalho freelance para que eu pudesse me concentrar no vidro. Realmente não tinha me ocorrido que fazer óculos em tempo integral era algo que eu poderia fazer ou gostaria de fazer, e certamente ainda não tinha me ocorrido que eu seria uma das poucas mulheres fazendo isso. Mas ser artista é o sonho e ser ótimo em alguma coisa é meu objetivo, então tenho investido toda minha energia nisso e adorando.

Todos os caras com quem trabalho na fábrica são incríveis. Nós nos divertimos muito e me sinto incrivelmente respeitado por eles em todos os momentos. A realidade é que agora tenho mais experiência quando se trata de vidros e, muitas vezes, ajudo com suas laminações, mas isso não quer dizer que não aprendo com eles. Felizmente, estamos todos abertos a ajudar uns aos outros e compartilhar novas técnicas, é um ambiente incrível para aprendizado e crescimento.

READ  As 30 Melhores Críticas De focus Com Comparação Em

O principal problema que tenho é que as pessoas tendem a se dirigir a Matthew quando discutem negócios conosco. Seja por mensagem ou pessoalmente, as pessoas parecem não perceber que somos uma equipe ou, se percebem, assumem que Matthew é a pessoa com quem deveriam estar falando. Isso não me surpreende muito, ele é um bom surfista e é quem dá forma às pranchas, mas há muito mais na produção de pranchas de surf e na gestão de um negócio do que apenas surfar e modelar. Este é um microcosmo do que está acontecendo na indústria em geral. Os modeladores estão na vanguarda, enquanto o envidraçamento não parece ser visto como altamente. Então, temos trabalhado muito para garantir que nosso Instagram nos retrate com precisão, para que as pessoas saibam desde o início que somos uma equipe.

WL: Quais são alguns dos problemas que você enfrentou trabalhando juntos como um novo negócio?

R: Sempre trabalhamos juntos em projetos, mas esta é a primeira vez que nossa única forma de renda vem do trabalho que fazemos juntos. Isso adiciona uma camada de pressão ao que estamos fazendo. Tivemos alguns meses muito difíceis em que sentimos que nunca seria mais fácil, mas isso se deve principalmente aos problemas típicos de iniciar um negócio; fluxo de caixa, faturas não pagas e falta de material. Definitivamente foi um ajuste, mas somos muito bons em nos comunicar quando temos um problema. Trabalhar em conjunto é um compromisso e a soma das nossas ideias. Ter uma compreensão real do caráter e das necessidades de cada um, combinado com uma comunicação aberta, tem sido a chave.

WL: O que é o ‘Espaço Químico Feliz?’

R: ‘Happy Chemicals’ é o nome da nossa fábrica onde trabalhamos ao lado de amigos/modeladores. Partilhamos o espaço com Adam (Mada Surfboards), Tobi (Eternal Circle Surfboards) e Alex (Bad Rug). Mas também temos uma política de portas abertas para que qualquer pessoa com dúvidas ou precisando de ajuda possa passar por aqui e conversar. Há muitos jovens shapers amadores chegando na área e nós tentamos nosso melhor para apoiá-los. Ao longo do ano passado, a fábrica desenvolveu um sentimento de comunidade, algo que sempre quisemos.

A fábrica começou como um espaço vazio para fazermos e criarmos o que quiséssemos. Na verdade, moramos lá em uma barraca por algumas semanas, quando estávamos particularmente falidos e tentando descobrir nossa próxima situação de vida. Rapidamente evoluiu para um espaço de modelagem colaborativa à medida que continuamos a conhecer pessoas que queriam um lugar para moldar. Então construímos mais quartos e maximizamos o espaço para acomodar mais pessoas. Isso envolveu mover nossa sala de vidro para o andar de cima, quase dobrando a capacidade. A indústria de construção de pranchas pode ser muito fechada e às vezes hostil quando se trata de compartilhar ideias e ajudar uns aos outros, então queríamos criar um espaço que incentivasse a colaboração. As pessoas às vezes nos perguntam como funciona ter várias marcas sob o mesmo teto, se é competitivo, mas até agora não é. Encorajamos os clientes a trabalhar uns com os outros, dependendo do que estão procurando. Reconhecemos as diferenças em nossas marcas e gostamos de ver o sucesso um do outro, e nos ajudamos muito. Tobi tem sua própria marca, mas também lixa pranchas para nós quando temos muitos pedidos. Ele tem sido fundamental para nos permitir crescer, ajudando a lixar sempre que precisamos.

READ  Os casos de COVID-19 em Portugal atingiram novos patamares e os hospitais não têm sido tão problemáticos

WL: Porque é que o Algarve é um local tão bom para gerir o seu negócio?

R: O Algarve está repleto de energia criativa inexplorada. Este não é apenas um lugar para turistas e aposentados que procuram golfe e sol, é uma parada importante na rota de migração de inverno da vida de van e um ponto de acesso de inverno para nômades digitais. Se você olhar além de todos os rótulos bregas, verá um influxo de pessoas para estadias de curto prazo, sazonais e de longo prazo. As férias de curta duração apoiam a indústria e os negócios do turismo, que são administrados por trabalhadores sazonais e muitas vezes de propriedade de expatriados. Em conjunto com a migração de inverno de pessoas em busca de ondas, você acaba com uma economia próspera de um ano para negócios relacionados ao surf (não vamos falar sobre escolas de surf) sem nenhuma baixa temporada real. Com esse grande movimento de jovens e falta de infraestrutura cultural, começamos a ver os brotos de algo novo. No entanto, parece terrivelmente semelhante à gentrificação. Obviamente, há muitos desafios em iniciar um negócio no exterior, para não mencionar escolher um dos cantos mais distantes da Europa, mas há vantagens em ser um dos primeiros se você puder sobreviver.

WL: Você fez algumas colaborações incríveis, conte-nos um pouco mais sobre elas…

R: Ao longo do último ano trabalhámos com algumas lojas em todo o Algarve para criar pranchas. Uma de nossas maiores colaborações foi com Pranchas de surf do sistemauma marca que trabalha com shapers locais para fazer pranchas para serem vendidas em lojas de surf locais, JahShaka e Quiksilver Lagos. Também criámos recentemente algumas pranchas de gama alta para uma nova concept store em Lisboa chamada Rove. Isso foi emocionante, pois nos permitiu adicionar todos os ‘sinos e assobios’ para fazer pranchas premium; painéis de resina, coloração de fibra de vidro, blocos de cauda de resina artesanal, acabamento polonês etc. Também colaboramos com um tatuador local e uma lenda criativa, Catarina Cardoso, para fazer arte para algumas placas. Ela tem sido extremamente inspiradora e honestamente é uma das pessoas mais interessantes e talentosas que tivemos o prazer de conhecer e trabalhar aqui.

WL: Quais são suas aspirações para o futuro?

R: Discutimos esse assunto com frequência porque nem sempre é fácil como marca saber o que você está tentando alcançar. A maioria das marcas de pranchas de surf tende a aumentar a produção como meio de crescimento. Gostamos da ideia de progredir horizontalmente. Construir uma plataforma flexível que nos permita continuar explorando nossos empreendimentos artísticos, sejam pranchas de surf, roupas, alto-falantes, móveis ou arte.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

DETRASDELANOTICIA.COM.DO PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
O Porta Voz