“Portugal deve-me!” Berardo vai ao ataque

empresário de arte desonrado José (Joe) Berardo tentou virar a mesa em todos os bancos que tentam recuperar quase um bilhão de euros que lhe emprestaram.

Diz hoje que o Expresso apresentou reconvenção, exigindo a restituição do dinheiro alegam que os bancos foram roubados deles, mais 100 milhões extras por ‘danos morais’.

o processo entrou ontem no Tribunal de Comarca de Lisboae está em nome de Berardo como particular e da sua Fundação Berardo apoiada por IPSS.

Os ‘réus’ são três bancos que o processam atualmente (CGD, BCP e Novo Banco) assim como BES (atualmente em liquidação).

De acordo com o caso a que o Expresso afirma ter tido acesso, “José Berardo considera que os bancos orquestraram um plano para o responsabilizar por todas as falhas do sistema financeiro pelas quais, na realidade, são todos os principais responsáveis”, enquanto o governo ‘conluio’ para manter a sua colecção de arte (esta segunda parte explicada pelo Diário de Notícias).

O empresário madeirense propõe como testemunha o primeiro-ministro António Costa e presidente do banco central, Mirio Conteno entre outros, e também quer ter acesso a documentos dos antigos ministérios da Cultura e Justiçadiz Expresso.

Sua alegação é que os bancos que emprestaram a ele estavam ‘fragilizados’ (tinham ‘pés de barro’) o que acabou prejudicando ele (e sua reputação).

Berardo, de 77 anos, apresenta-se como “o empresário que nada deve a Portugal e para quem Portugal deve muito”.

Seus advogados estão particularmente preocupados com o fato de o governo ter impedido obras de arte no Coleção Berardo sendo retirados do uso público, embora os bancos claramente queiram que ‘paguem as dívidas’ que alegam que Berardo deve.

READ  Portugal vai às urnas no dia 30 de janeiro e estabilidade política enfraquece

O Diário Notícias explica que Berardo sente que se tornou um “objetivo de derrubar” depois de sua infeliz audição por um comissão parlamentar em 2019.

Ele afirma que o comitê agiu como uma espécie de ‘Julgamento do povo’“Dando sem relevância para as responsabilidades de gestão da CGD e razões para recapitalização.

“Ao desacreditá-lo, opinião pública foi levada a acreditar ele foi o responsável pelas perdas registradas pelos bancos”, diz DN. Isso é algo que Berardo refuta com veemência, dizendo ter “já pagou mais de 230 milhões de euros aos bancos“E pretende “concluir as negociações para pagar tudo o que é devido”.

De fato, todo o furor, afirma a denúncia, conseguiu retratam “um empresário que nada deve a Portugal e a quem Portugal tanto deve como um mero capitalista com o capacidade de evitar o pagamento de empréstimoscom repercussões diretas sobre os contribuintes que pagam os défices e as perdas dos bancos”.

Joe Berardo está actualmente no maior fiança já conheci neste país: 5 milhõesvoltado para acusações criminais de ter Banco do Estado CGD ‘danificado’ no valor de 439 milhões de euros.

[email protected]

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

DETRASDELANOTICIA.COM.DO PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
O Porta Voz