Portugal enfrentará a Eslovênia na primeira eliminatória

Tendo já liderado o Grupo F, Portugal A última rodada da fase de grupos foi na quarta-feira Euro 2024Um jogo que deu ao seleccionador Roberto Martinez a melhor oportunidade de rodar a sua equipa frente a uma equipa georgiana que precisava de uma vitória para avançar.

Mas com Martinez a inverter a situação novamente, Portugal (atualmente 6º no ranking da FIFA) perdeu por 2-0 para o 74º classificado graças a um desempenho medíocre – um dos piores em décadas – e levantou algumas questões sobre a capacidade da equipa. Realmente concorra ao título neste Euro 2024.

A chave das oitavas de final foi decidida após o jogo contra a Geórgia, e Portugal enfrentará a Eslovênia na segunda-feira, 1º de julho, em Frankfurt, às 15h EST.

A Eslovênia já fez história ao sair da fase de grupos, algo que nunca havia feito antes em um Campeonato Europeu ou em uma Copa do Mundo.

Na verdade, a antiga República Jugoslava nunca ganhou um jogo nos seus dois Campeonatos da Europa da UEFA, empatando dois e perdendo um na estreia, em 2000, e três empates frente à Dinamarca, Sérvia e Inglaterra este ano.

Portugal não teve a mesma sorte que teve quando conquistou o título em 2016, pois caiu no lado mais fraco da chave.

Pedro Barata escreveu no ‘Tribuna Expresso’: “Portugal está do lado da grelha do Campeonato da Europa que é teoricamente forte. Vejamos: do lado onde está a nossa seleção, foram conquistados um total de 10 títulos continentais (três de Espanha , três da Alemanha, dois de França, um de Portugal e um da Dinamarca; por outro lado, são apenas três (dois de Itália e um dos Países Baixos);

Se Portugal vencer na segunda-feira, voltará a defrontar o vencedor do jogo França-Bélgica, em Hamburgo, na sexta-feira, 5 de julho.

Mas primeiro deveriam concentrar-se na Eslovénia.

“Não existem jogos fáceis”, disse Roberto Martinez. “Agora não é amizade, é diferente. A Eslovénia é uma equipa que joga como um clube, com uma coesão defensiva brutal e dois avançados influentes. Temos que nos preparar bem para o jogo, mas este não é um amistoso.

READ  As 30 Melhores Críticas De Armário De Cozinha Com Comparação Em

Lidia Peralta Gomes, que acompanha o Euro 2024 pelo ‘Tribuna Expresso’, disse que a Eslovénia “é uma equipa organizada que vai trazer à nossa seleção a resolução precisa de problemas neste Campeonato da Europa. Uma eliminatória onde a seleção nacional tem muito a provar. Há não há mais espaço para experimentos, rotações durante o torneio. Agora, mesmo que caia, vai embora. E as práticas mostradas por Portugal levantaram dúvidas razoáveis.

Portugal foi uma grande desilusão na final da fase de grupos

Depois de já ter garantido o primeiro lugar depois de vencer os dois primeiros jogos – 2-1 frente à República Checa e 3-0 frente à Turquia – Martínez teve a situação ideal de não poder ceder jogadores importantes minutos depois. Mas a maioria dos jogadores que marcaram cerca de 180 minutos nos jogos iniciais estavam descansados.

A ideia de Martinez é dar aos jogadores menos aproveitados a chance de mostrar que merecem ser titulares no próximo jogo. Em vez disso, o seleccionador de Portugal ficou completamente desmoralizado, pois ninguém conseguiu aproveitar a oportunidade de ouro que ele apresentava.

Grande parte do problema foi que Martinez optou por mudar tudo novamente. Ele fez oito alterações em relação ao time que esmagou a Turquia e reorganizou sua formação tática, jogando com três zagueiros. Assim, em três jogos, utilizou três onze iniciais diferentes e três formações diferentes, pelo que o resultado era previsível, pois faltou motivação à equipa, foi vítima de muitos erros individuais e mostrou desilusão nas soluções e ideias. A falta de procedimentos gerou incerteza e confusão.

Do outro lado estava uma equipa da Geórgia que, na antevisão do jogo, já se tinha mostrado muito ambiciosa.

“Vamos dar tudo para sonhar, mas Portugal é uma equipa fantástica, grandes jogadores e sabemos que será difícil, mas se houver hipóteses, por pequenas que sejam, os jogadores darão tudo para se qualificarem”, disse o treinador. Willy Sagnol em conferência de imprensa na Veldins Arena em Gelsenkirchen.

Portugal entregou a Sagnol essa pequena oportunidade numa bandeja de prata. Com menos de dois minutos de jogo, o zagueiro Antonio Silva devolveu às cegas a bola, que foi roubada por Mikudadze, que rapidamente mandou o passe para Kvaratskelia. O jogador do Napoli ultrapassou Silva, abriu pela esquerda e bateu o goleiro Diogo Costa.

READ  Portugal vai vacinar 1,7 milhões em duas semanas à medida que aumentam as infecções por COVID

O golo pareceu deixar Portugal cambaleante e, apesar de ter muita posse de bola, não conseguiu chegar à baliza adversária. O excesso de passes laterais e a falta de ritmo e de ideias impediram Portugal de mostrar a qualidade pela qual é conhecido, o que ficou evidente na vitória sobre a Turquia.

No segundo tempo, outro erro defensivo deu à Geórgia uma vantagem impensável de 2 a 0. Jono Neves, com a equipa a entrar no terço final sob forte pressão adversária, tentou insensatamente cruzar o adversário no seu próprio meio-campo e perdeu a posse de bola. Na tentativa de recuperar a bola, Antonio Silva cometeu mais um erro, derrubando Lochoshvili dentro da área portuguesa. O árbitro não constatou falta, mas o VAR esteve atento à jogada, ao contrário do que fez no primeiro tempo, quando Lochoshvili pegou Cristiano Ronaldo e chamou o árbitro Sandro Scherer. Depois de revisar as imagens, o árbitro marcou pênalti para a Geórgia. Mikudadze o substituiu.

Antes do apito final, Roberto Martinez fez algumas alterações adicionais, mas a natureza da partida permaneceu a mesma. A equipa georgiana foi intensa, apoiada por um apoio forte e vocal dos seus adeptos, e atacou cada jogada como se fosse a mais importante do jogo, um nítido contraste com uma equipa portuguesa onde ninguém se destacou ou se envolveu.

Uma falha inesperada também levou à mudança do próximo adversário. Se tivesse vencido, Portugal teria defrontado a Hungria, mas a Eslovénia ditou que seria o adversário nos oitavos-de-final, a mesma selecção da Eslovénia que, no dia 26 de Março, infligiu a primeira derrota da era Roberto Martinez, por 2-0, em um amigável de preparação para este Euro2024.

Curiosamente, os críticos em Portugal naquele dia consideraram que a selecção nacional teve um desempenho esquecível, visto que parecia completamente diferente em Ljubljana, tal como aconteceu contra a Geórgia.

O que eles disseram?

Os críticos não são de forma alguma gentis com Roberto Martinez. Um grupo da agência nacional de notícias portuguesa Luza disse: “Portugal é afetado [on Wednesday] A derrota mais ‘humilhante’ da história do Campeonato Europeu de Futebol aproveitou a ‘arrogância’ excessiva do treinador Roberto Martinez ao cair diante da Geórgia (2-0), atualmente classificada no 74.º lugar do ranking da FIFA.

READ  Novas metas nacionais apresentadas - The Portugal News

“Portugal nunca perdeu para uma equipa com uma classificação tão baixa no Campeonato da Europa e os georgianos podem agradecer a Martinez pela primeira vitória no torneio e pela passagem aos oitavos-de-final na sua primeira participação.”

E concluíram escrevendo: “A Geórgia, no primeiro conflito oficial entre as duas nações, foi claramente a mais sábia, lutou muito e fugiu como um vencedor digno”.

No ‘Observador’, André Maia escreveu: “Numa noite de calor extremo e muitos pedidos de água, a Geórgia deu-nos um balde de água fria. E quem sabe, um banho de humildade para as batalhas que viriam”.

Miguel Mendes, no jornal ‘A BOLA’, disse que Portugal teve uma “exibição pálida, muitos erros e uma equipa sem alma; Martinez mudou quase tudo e…tudo ficou mau; tem de voltar à fórmula original”.

Essa série de trocas desagradou muitos roteiristas, como já havia feito durante as eliminatórias. Roberto Martinez escolheu os jogadores titulares de seu time com base no tipo de futebol que o adversário joga. Nenhuma outra equipa de topo o faz, com equipas como Espanha, França e Inglaterra a terem o seu próprio sistema que utilizam em todos os jogos. Os jogadores podem variar, mas a estrutura permanece a mesma. Martinez não fez isso. Mesmo contra adversários mais fracos, sua configuração tática varia, o que não faz muito sentido, pois deturpa o seu time.

Após o jogo, Roberto Martinez admitiu que Portugal “começou com pouca intensidade e tudo o que a Geórgia precisou foi sofrer um golo madrugador”. No último passe, não tivemos clareza na área e o guarda-redes adversário fez um trabalho muito bom. A Geórgia tinha mais confiança e mais força e a vitória foi merecida.

“Preparámo-nos para o jogo com a Geórgia quando defrontámos a Irlanda e foi importante travar o contra-ataque da Geórgia. Faltou-nos intensidade, não começámos bem. Para a Geórgia, este foi ‘o’ jogo da sua história e não correspondemos a intensidade que precisávamos. Desistimos do gol, a Geórgia defendeu em bloco rasteiro. Aproveitamos o contra-ataque como eles queriam.

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

DETRASDELANOTICIA.COM.DO PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
O Porta Voz